quinta-feira, 6 de novembro de 2014

VENDO: Motor Ford v8 Flathead, modelo alemão 7A52, linha FK

VENDO Motor Ford V8 Flathead, modelo alemão 7A52, linha FK.
Motor parado a muito tempo, ultima vez que mexi (um ano) estava girando na mão. Oleo do carter em bom estado pelo tempo que ficou parado. Acompanha coletor de admissão e escapamento; distribuidor com platinado, condensador e rotor; cabos de vela e velas; capa seca e sistema de embreagem; bombas de agua (tem as duas, uma não aparece na foto, mas precisam de restauração). Não tenho nota fiscal pois foi retirado de uma caminhão/pick-up FK que está recebendo mecânica moderna. Comprador fica responsavel pela retirada/coleta/envio do motor, ajudarei no que for necessário. Envio mais fotos para quem realmente tiver interesse na compra. Valor R$ 5.000,00.





domingo, 14 de setembro de 2014

14º Rally Internacional do Classic Car Club do RS

Largada do 14º Rally Internacional do Classic Car Club do Rio Grande do Sul para carros clássicos e 'sports' que aconteceu dia 13/09/2014 na cidade de Passo Fundo/RS em frente ao Prix Hotel e futura sede do Museu do Automobilismo Brasileiro. Clique nas imagens para ampliar.

 





































segunda-feira, 9 de junho de 2014

Chamonix Speedster

Atrasado, mas antes tarde do que nunca. Meu novo 'brinquedo': Chamonix Speedster 99/2000.


Trata-se de uma réplica dos Porsche Speedster produzidos entre 1954 a 1956. A história do Porsche 356 Speedster remonta às origens da marca alemã, como fabricante de automóveis esportivos. Mais exatamente, quando Max Hoffman, o importador da Porsche para os Estados Unidos da América solicitou a criação de uma versão simplificada do já existente modelo 356, de modo a dispor de um modelo competitivo, no emergente mercado de pequenos esportivos europeus, onde então pontuavam marcas como a Triumph, MG e Austin Healey. Outra necessidade imposta na lista de exigências do novo esportivo era a fácil conversão para a competição, de modo a poder alinhar, sem contratempos, nos cada vez mais populares eventos de Road Racing, para carros esportivos.
 
 
O resultado foi um veiculo de linhas puras, com um parabrisas reduzido ao mínimo indispensável e com uma capota de lona pouco mais que formal, destinada a utilizar como recurso e não como norma. Na realidade, nada de grave para um carro cujas vendas se deveriam produzir maioritariamente nas regiões quentes dos EUA. Os motores eram os habituais Flat-4, com cilindradas entre os 1300 e os 1600cc. Entre 1954 e 1956 apenas foram produzidos cerca de 5000 Speedster, um número relativamente escasso que ajudou a criar a aura deste modelo e o converteu num dos mais desejados de todos os Porsche 356.
 
 
A nossa réplica é da empresa Chamonix, considerara uma das melhores réplicas do mundo, reconhecida pela própria Porsche que utiliza os veículos Chamonix em peças publicitárias e recomenda para os seus cliente.
A produção da Chamonix era de, aproximadamente, 100 carros por ano, composta pelo modelos Spyder, Super-90 e Speedster, era voltada para o mercado dos EUA, Europa e Japão, sendo que apenas 01% (um por cento) da produção era destinado ao mercado brasileiro, o que torna o veículo bastante raro no Brasil, especialmente o modelo Speedster, o preferido do mercado externo. Nos EUA os produtos Chamonix eram vendidos com o nome Beck Speedster.
 
 
Estamos procurando outros proprietários de Chamonix Speedster para formar um grupo destinado a troca de informações/literatura, dicas de manutenção, compra e venda de peças.

domingo, 23 de março de 2014

Museu do Automobilismo Brasileiro e Prix Hotel

Seguem em ritmo acelerado as obras da nova sede do Museu do Automobilismo Brasileiro, localizada ao lado do Prix Hotel, em Passo Fundo/RS, um espaço de 5.000 metros que receberá o  acervo hoje representado por mais de 120 carros das mais diversas épocas, milhares de fotos, vídeos e filmes de época, troféus e memorabilia reunidos em 20 anos de trabalho contínuo, em um espaço mais adequado e moderno para apreciação do público convidado, num trabalho contínuo de melhoramentos e atualização, jamais visto no Brasil, e que se iguala em qualidade aos melhores do mundo.
 
 
O Museu do Automobilismo Brasileiro foi criado por Paulo Trevisan, atual diretor da instituição. Como disse o mestre Joca: "Para os que são do meio, apresentar Paulo Trevisan é desnecessário, tal sua importância para a preservação da memória do nosso automobilismo de competição. E elogiar sua iniciativa, capacidade de trabalho, desprendimento e visão estratégica nunca é demais. Parabéns e obrigado mais uma vez ao Mestre Trevisan, guardião maior de nossa história automobilística, de quem seremos eternos devedores."
  
(nova logo do Museu)