domingo, 14 de setembro de 2014

14º Rally Internacional do Classic Car Club do RS

Largada do 14º Rally Internacional do Classic Car Club do Rio Grande do Sul para carros clássicos e 'sports' que aconteceu dia 13/09/2014 na cidade de Passo Fundo/RS em frente ao Prix Hotel e futura sede do Museu do Automobilismo Brasileiro. Clique nas imagens para ampliar.

 





































segunda-feira, 9 de junho de 2014

Chamonix Speedster

Atrasado, mas antes tarde do que nunca. Meu novo 'brinquedo': Chamonix Speedster 99/2000.


Trata-se de uma réplica dos Porsche Speedster produzidos entre 1954 a 1956. A história do Porsche 356 Speedster remonta às origens da marca alemã, como fabricante de automóveis esportivos. Mais exatamente, quando Max Hoffman, o importador da Porsche para os Estados Unidos da América solicitou a criação de uma versão simplificada do já existente modelo 356, de modo a dispor de um modelo competitivo, no emergente mercado de pequenos esportivos europeus, onde então pontuavam marcas como a Triumph, MG e Austin Healey. Outra necessidade imposta na lista de exigências do novo esportivo era a fácil conversão para a competição, de modo a poder alinhar, sem contratempos, nos cada vez mais populares eventos de Road Racing, para carros esportivos.
 
 
O resultado foi um veiculo de linhas puras, com um parabrisas reduzido ao mínimo indispensável e com uma capota de lona pouco mais que formal, destinada a utilizar como recurso e não como norma. Na realidade, nada de grave para um carro cujas vendas se deveriam produzir maioritariamente nas regiões quentes dos EUA. Os motores eram os habituais Flat-4, com cilindradas entre os 1300 e os 1600cc. Entre 1954 e 1956 apenas foram produzidos cerca de 5000 Speedster, um número relativamente escasso que ajudou a criar a aura deste modelo e o converteu num dos mais desejados de todos os Porsche 356.
 
 
A nossa réplica é da empresa Chamonix, considerara uma das melhores réplicas do mundo, reconhecida pela própria Porsche que utiliza os veículos Chamonix em peças publicitárias e recomenda para os seus cliente.
A produção da Chamonix era de, aproximadamente, 100 carros por ano, composta pelo modelos Spyder, Super-90 e Speedster, era voltada para o mercado dos EUA, Europa e Japão, sendo que apenas 01% (um por cento) da produção era destinado ao mercado brasileiro, o que torna o veículo bastante raro no Brasil, especialmente o modelo Speedster, o preferido do mercado externo. Nos EUA os produtos Chamonix eram vendidos com o nome Beck Speedster.
 
 
Estamos procurando outros proprietários de Chamonix Speedster para formar um grupo destinado a troca de informações/literatura, dicas de manutenção, compra e venda de peças.

domingo, 23 de março de 2014

Museu do Automobilismo Brasileiro e Prix Hotel

Seguem em ritmo acelerado as obras da nova sede do Museu do Automobilismo Brasileiro, localizada ao lado do Prix Hotel, em Passo Fundo/RS, um espaço de 5.000 metros que receberá o  acervo hoje representado por mais de 120 carros das mais diversas épocas, milhares de fotos, vídeos e filmes de época, troféus e memorabilia reunidos em 20 anos de trabalho contínuo, em um espaço mais adequado e moderno para apreciação do público convidado, num trabalho contínuo de melhoramentos e atualização, jamais visto no Brasil, e que se iguala em qualidade aos melhores do mundo.
 
 
O Museu do Automobilismo Brasileiro foi criado por Paulo Trevisan, atual diretor da instituição. Como disse o mestre Joca: "Para os que são do meio, apresentar Paulo Trevisan é desnecessário, tal sua importância para a preservação da memória do nosso automobilismo de competição. E elogiar sua iniciativa, capacidade de trabalho, desprendimento e visão estratégica nunca é demais. Parabéns e obrigado mais uma vez ao Mestre Trevisan, guardião maior de nossa história automobilística, de quem seremos eternos devedores."
  
(nova logo do Museu)
 

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Lambretta LI 1965. Finalmente, 'quase' pronta!

Finalmente, depois de muitos anos em processo de restauração (adquirida em outrubro de 2008), não por ser um trabalho dificil, mas por falta de profissionais competentes e interessados em realizar o serviço, ficou 'quase' pronta a minha Lambretta LI 1965.
 
 
A parte mecânica ficou a cargo do Sr. Paulo Vilarinho da cidade de Espumos/RS, serviço realizado de forma perfeita e dentro do prazo. Já a funilaria e pintura foi realizada pelo meu amigo João Carlos Fuhr de Estancia Velha. Como vocês podem ver na foto abaixo, foi um arduo trabalho de restauração com garimpo das peças que estavam faltando. 

 
Agora para realmente ficar pronta, só falta trocar o pedal de partida e o eixo, regular os cabos de transmissão, freios e acelerador. Até o Maurício Morais ficou empolgado com o final da restauração e fez essa linda gravura.


Para ver todo o conteúdo do blog referente a minha Lambretta LI 1965, clique aqui.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

2º Encontro de Veículos Antigos de Carazinho, dias 22, 23 e 24 de novembro 2013

Convite para o 2º Encontro de Veículos Antigos e Especiais de Carazinho.
Dias 22, 23 e 24 de novembro de 2013.
clique na imagem para ampliar