segunda-feira, 26 de julho de 2010

O Volkswagen Karmann-Ghia no Brasil - história e curiosidades

Vamos dividir com nosso amigos um pouco da história e curiosidades sobre o VW Karmann-Ghia, em especial do modelo fabricado no Brasil entre 1961 a 1972, carro pelo qual tenho grande admiração.

Em nosso país o Karmann-Ghia, inicialmente saia de fábrica com motores de 1200 cm3 de 32 cv (1962 a 1966); em 1967 passou a ser equipado com motor de 1500 cm3 de 52 cv que foi até o modelo fabricado em 1969, em 1970 o veículo passou por grandes mudanças, passando a usar motores de 1600 cm3 com 60 cv, motorização utilizada até o final da produção em 1972.

Karmann-Ghia 1200, pintura saia-e-blusa e rodas fechadas

As principais modificações, além dos motores, foram nas Lanternas: pequena: 1962 a 1967 (padrão mundial) e modelo grande: 1968 a 1972 (somente no Brasil)
lanterna pequena

lanterna grande

Os parachoques também sofreram modificações durante a produção no Brasil:  modelo “puleiro” com tubos superiores utilizado até o final de 1969 (fotos acima); tipo “lamina” (barra única) a partir de 1970 até 1972 (foto abaixo).


Carros Produzidos: Segundo constava no site da Karmann-Ghia do Brasil, foram fabricados 23.178 veículos no Brasil. Mas segundos dados coletados junto a ANFAVEA/CEDOC pelo Sr. Enio Brandenburg, os números são os seguintes: Coupé (tipo 143), 23.400 veículos; Conversível (tipo 141), 177 unidades.

Tipo 143 1.200cc (1962-1966) = 9.263
Tipo 143 1.500cc (1967-1969) = 11.280
Tipo 143 1.600cc (1970-1972) = 2.850
Tipo 141 1.500cc (1967-1969) = 130
Tipo 141 1.600cc (1970-1972) = 47

Produção anual:
1962 = 759
1963 = 1.868
1964 = 2.285
1965 = 1.951
1966 = 2.400
1967 = 3.009
1968 = 5.000
1969 = 3.459
1970 = 2.083
1971 = 702
1972 = 61

Total de 23.577 unidades (incluindo os 177 conversíveis produzidos) - Dados extraídos da ANFAVEA/CEDOC pelo Enio Brandenburg, autor do livro Automóveis Brasileiros, a história ilustrada de modelos nacionais de passeio, já fora-de-linha, do Romi-Isetta ao Ford Del Rey

Curiosidades:

- Até 1965 ele saiu de fábrica com pintura saia-e-blusa, painel com relógio grande, lanternas traseiras pequenas;

- 1962 a 1966: Mecânica 1200, roda fechada, sem ventilação até 1963, fixada com cinco parafusos, pára-choques com lâminas, tubos e garras, lanterna traseira pequena. Sistema elétrico 6 volts

- Em 1966, só mudam as rodas, que passam a ser como as do Fusca.

- Em 1967 o motor passa a ser o 1500 cm3. Neste ano também começaram a ser fabricados os conversíveis. No ano de 67, saíram 12 unidades da fábrica.

- Em 1968, grandes mudanças. O painel muda, tendo agora relógio pequeno, o Karmann Ghia viria de fábrica com uma roda exclusiva dele, com janelinhas quadradas, semelhantes as do Fuscão, com 10 janelinhas, meio ovais, porém com 5 furos de fixação. Pára-choques com lâminas, tubos e garras, lanterna traseira grande, trava de câmbio. O volante deixa de ser branco igual ao do Fusca e agora preto, com raios ligeiramente inclinados, volante que depois equiparia a linha Variant / TL / Zé do Caixão (vw 1600). Mudança do sistema elétrico: 1ª. série: 6 volts, 2.ª série: 12 volts. Ah, e a grande sensação do momento, espelho retrovisor externo, que até então não era um item obrigatório.

- Em 1968, o Karmann Ghia vinha com uma cobertura plástica no painel que imitava madeira de lei, Jacarandá. Os apliques, imitação de Jacarandá, forrava as portas e laterais traseiras também. Existe alguns modelos com esta forração Jacarandá que tinha um aplique também no centro do velocímetro, mas não é possível confirmar se era de fábrica. Foram fabricadas 5.000 unidades do modelo 68.

- 1968 e 1969: Mecânica 1500 (52 hp), roda fixada com cinco parafusos e desenho quadrado exclusiva do Karmann-Ghia(só em 1969 com 20 janelas e 5 furos; em 1968 rodas com 10 janelas igual ao fuscão mas com 5 furos), pára-choques com lâminas, tubos e garras, lanterna traseira grande. Sistema elétrico 12 volts. Novo painel de instrumentos.

- 1969 2ªsérie: curva dos paralamas traseiros alta, deixando a roda mais a mostra.

- Em 1970, outro ano de grandes mudanças. O motor passa a ser 1600cc com carburação simples, rodas agora seriam com 4 furos de fixação, como o do Fuscão, freios a disco na dianteira, o espelho deixa de ser do paralamas para ser do modelo raquetinha (2.ª série), e os pará-choques deixam de ter "puleiros", para ser em lamina única reta e com duas garras com protetores de borracha. Sistema elétrico 12 volts. Modificação do sistema dos vidro das portas agora com quebra-ventos. A partir de 1970 2ª série : o espelho retrovisor que antes era fixado no paralama passa a ser fixado na porta do motorista.

- Em 1972 deixa de ser produzido no Brasil este modelo, em quanto o modelo Karmann Ghia TC daria continuidade até 1975. Esse foi o ano em que o karmann ghia teve o menor número de unidades produzidas, apenas 61 veículos

15 comentários:

  1. OLA JÕAO ,
    VC ACHA Q PODE ME ENVIAR FOTOS DO MOTOR DO MOD 1969 .
    GRATO
    JOHNNY > jogrun@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. ola, voce sabe se o desenho dos bancos tambem mudaram na 2 serie de 1970? obrigado

    ResponderExcluir
  3. Sei que mudaram em 71, ficando igual ao TC. Pode acontecer de algum modelo do final de 70 (dezembro) já tenha saido de fabrica com os bancos tipo 71.

    ResponderExcluir
  4. Sera que as lanternas grandes tambem equiparam alguns modelos de 1967?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo, é possivel que algum karmann ghia montado no final de 1967 tenha saído de fabrica com as lanternas do modelo 68, pois as mudanças na linha de montagem acontecem antes da virada do ano, geralmente no final de novembre e no mês de dezembro. MAS, o comum nos karmann ghia 67 com lanternas grandes é que quando os proprietários raspam a carroceria para uma restauração, percebem que os paralamas traseiros foram recortados para colocação do suporte da lanterna do modelos mais novo, ou seja, as lanternas mais novas foram adaptadas e não são originais

      Excluir
  5. gente boa, espero que apreciem, coloquei um filme de 1969 no youtube, que tem um monte de Karmann ghia. O original tem muito melhor qualidade de imagem, mas no youtube, na passagem, perdeu muuito, infelizmente. Abraço aí. http://www.youtube.com/watch?v=YynFY9eIq6E&feature=share

    ResponderExcluir
  6. Olá, boa tarde,
    Em que ano que o parachoque traseiro, tipo puleiro ficou mais curto?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi em 1969 quando mudou o formato do paralama traseiro... acho q publiquei um post no blog sobre isso

      Excluir
  7. Fiquei em dúvida com o registrado no item curiosidades: em 66 comprei de um amigo o KG62 que foi soh amarelo desde novo, no verão de 69 comprei um KG69 beige ok e a curva dos para-lamas jah eram altas, em 83 comprei um KG68 original e a curva dos para-lamas tbm eram altas, essa alteração poderia ter ocorrido na segunda série de 68 e não em 69?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cor amarela não era disponível em 1962 deve ter sido algum pedido especial feito por cliente/autorizada vw ou pode ter sido personalizado na própria agencia VW.
      Sim, é possível que um KG 68, montado no final daquele ano (nov/dez) já tenha recebido os paralamas da linha 69. Exemplo são os primeiros KG conversíveis fabricados no final de 1967 que saíram de fabrica com as rodas de 20 janelas e as lanternas de 68.

      Excluir
  8. O karmanghia 1967 ainda era 6 volts? obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mário, consultei o manual do KG 1500 editado em maio de 67 e lá consta sistema eletrico de 6 volts.

      Excluir
  9. ola!Meu nome é Manfredo e estou reformando um Karmann Ghia 72 conversível,motor 1600.Pergunto:Onde posso fazer uma pesquisa para saber se ele realmente é conversivel??No documento traz que ele é conversível,mas há quem diga que alguns foram cortados.Será que pesquiso pelo número do chassi na VW???Grato

    ResponderExcluir
  10. Se ele é 1972 provavelmente não é conversivel pois a produção deste modelo encerrou em 1970. No conversivel há reforço estrutural na coluna central da porta e nas laterais traseiras e atrás do banco traseiro e nela está gravado o numero da carroceria. Outra particularidade é em relação as vidros da porta que são "arredondados" na ponta superior traseira (onde seria coluna B do fechado). Finalmente, na frente onde vai apoiado o tanque de gasolina, no lado do passageiro, proximo ao parafuso de fixação da trava do tanque, tem o numero da carroceria gravado se ele for inferior a 177 é um conversível original.

    ResponderExcluir