domingo, 29 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye (07)

Seguem fotos das máquinas que foram prestigiar a apresentação do Fusca e da Brasilia, vencedores, respectivamente, do Rallye Volta da América em 1978 e do World Cup Rallye em 1974.


Estava presente um certo Fusca 1972, azul com sunroof, motor 2000 cm3 pumakit, mas esqueci de tirar foto. Lamentável.

A Máquina a Vapor das fotos abaixo, acredito que faça parte do acervo do Museu do Automobilismo, o Paulo Trevisan ou o Larri, poderão acrescentar algumas informações sobre a mesma.

sábado, 28 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye (06) - Narrativa Cláudio Muller (02)

Segunda parte do vídeo com o Cláudio Muller narrando a sua participação no World Cup Rally de 1974 a bordo da Brasilia #14 durante evento realizado no Museu do Automobilismo Brasileiro em 20/08/2010.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rally (05) - Narrativa Cláudio Muller (01)

Antecipadamente pedimos desculpa pela qualidade da imagem, demos uma 'derrapada' e esquecemos de levar o carregador de bateria da filmadora que acabou ficando sem carga e para não perder a maravilhosa narrativa do Cláudio Muller contanto as suas aventuras no World Cup Rally de 1974, a bordo da Brasilia #14, fizemos o vídeo com a câmera fotográfica. O que importa é que o áudio ficou bom, aumente o volume e curta a primeira parte.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye (04)

Estava escrevendo um texto para sintetizar o que aconteceu no mágico sábado do dia 21/08/2010, proporcionado pelo Paulo Trevisan nas dependências do Museu do Automobilismo, quando encontrei no Blog do Mestre Joca o excelente texto do Marcelo Matusiak, o qual segue abaixo juntamente mais algumas fotos do evento.
----------------------------------------------------------------------------

Duas épicas conquistas de pilotos gaúchos ganharam um espaço nobre para ficar guardado na história do automobilismo. O Fusca vencedor do Rallye Volta da América em 1978 e a Brasília usada no World Cup Rallye em 1974 foram apresentados ao público no Museu do Automobilismo de Passo Fundo. A cerimônia foi festiva e marcada por muita emoção durante as lembranças de superação dos participantes.
O Volkswagen Sedan 1300 L de número 110 é uma reprodução idêntica ao veículo usado na competição que teve 39 dias de duração. A largada foi na região central de Buenos Aires, na Argentina no dia 17 de agosto de 1978. Os participantes seguiram por 29 mil quilômetros cruzando o Uruguai, Paraguai, Brasil, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, Chile e retornando à capital argentina. A dupla foi formada por Neri Carlos Reolon, natural de Passo Fundo e Christiano Nygaard, de Porto Alegre.

O carro pertence ao Clube Porto Alegre de Rallye e esteve originalmente no Museu da Ulbra. Agora vai compor um segmento voltado ao rallye resgatando a história e valorizando o esporte. Em seu discurso, o piloto Néri Reolon, foi às lágrimas ao contar momentos de sacrifício vividos durante a corrida no interior do Fusca.
- É mais uma situação bastante emocionante para mim. Primeiro com a participação e vitória na prova e depois com o lançamento do livro e exposição na Ulbra, Agora com esse termo de cedência e comodato com o museu. Sou natural de Passo Fundo e isso que estamos vendo aqui é motivo de grande orgulho e fico emocionado com isso - comentou Neri Reolon

Na entrada do Museu, o capô original usado pela Brasília da equipe brasileira encantou a todos presentes. O carro foi usado na prova que era considerada a mais difícil do mundo e teve apenas duas edições na história devido aos riscos enfrentados por pilotos e navegadores e posterior proibição pela Federação Internacional de Automobilismo. O piloto Cláudio Müeller passou 20 dias dentro da Brasília com o navegador Carlos Guido Weck e cruzou por 19 países da Europa, África e Ásia.

- Esse dia vai ficar na minha história sem dúvida nenhuma. Eu não imaginava encontrar tanta afetividade e gente que veio de tão longe. É importante deixar gravado o que cada competição representa para o piloto. Essa prova me fez um outro homem - disse Cláudio Mueller.

O piloto contou aos presentes o drama vivido com a quebra do carro em meio ao deserto do Saara e uma capotagem na Turquia, na qual o carro não caiu em um barranco por pouco sendo sustentado por uma árvore. A exibição dos dois carrros foi mais um passo importante na história do Museu do Automobilismo de Passo Fundo, que já é uma referência no Brasil.
- O significado do dia de hoje é muito grande. Estamos envolvidos há tantos anos e só agora se abriu essa possibilidade de criarmos um ambiente do rally. Foi um evento especial. A gente viu aflorar muita emoção e esse é o tipo de clima que eu adoraria ver no museu. Essa relação homem maquina e esses desafios fantásticos são memoráveis - comentou o idealizador do Museu, Paulo Trevisan.

Texto: Marcelo Matusiak / Fotos: João Cesar Santos

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye (03)

Mais algumas fotos dos bastidores do evento realizado no Museu do Automobilismo, em 21/08/2010, quando foram apresentados o Fusca 1300 vencedor do Rallye Volta da América em 1978 e a Brasília do  World Cup Rallye em 1974 e criação do Museu do Jornalismo Esportivo de Passo Fundo.


domingo, 22 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye (02)

Com exclusividade, depoimento de Neri Reolon a Paulo Trevisan no Museu do Automobilismo Brasileiro sobre o Rallye Volta da América de 1978. Uma fantástica aventura dos pilotos brasileiro Christiano Nygaard e Neri Reolon, os vencedores do Rallye com um Fusca 1300, ano 1978, veículo que passa a fazer parte do acervo do Museu.

sábado, 21 de agosto de 2010

Museu do Automobilismo - Carros de Rallye

Estivemos no dia 21/08/2010 no Museu do Automobilismo Brasileiro prestigiando a apresentação dos novos veículos que passaram a fazer parte do acervo do Museu:

- a réplica da Brasilia que participou do Rally da Copa do Mundo de 1974 (London/Sahara/Munich), pelos gaúchos Cláudio Muller e Carlos Guido Weck;

- o Fusca 1300 da equipe Gaúcha Car que participou e ganhou na sua categoria (classe A) o Rally Volta da América do Sul, realizado em 1978, da dupla Christiano Nygaard e Neri Reolon;


- VW Gol, campeão no Grupo N, Classe 3, do Campeonato Sulamericano de Rally de 1996, dos irmãos Roberson e Rogério Azambuja da cidade de Passo Fundo.

Durante o evento, além da inauguração da ala de Rallye no Museu do Automobilismo, foi firmado o termo de criação do espaço denominado Museu do Radialismo e Jornalismo Esportivo de Passo Fundo, possível atráves da doação do acervo pessoal de Meirelles Duarte.

Temos muito material (fotos e vídeos) que divulgaremos nos próximos dias, vale a pena acompanhar o blog.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Lambretta 1965 (02)

Iniciamos o processo de restauração da Lambretta LI 1965. O quadro e outras peças passaram pelo jato de areia e foi aplicado wash primme fosfatizante, em breve irá para a chapeação (ou funilaria como dizem os paulistas). A parte mecânica está a cargo do sr. Paulo Vilarinho, da cidade de Espumoso, antigo mecânico de Lambrettas, Vespas e outras motocicletas, que já desmontou o motor/câmbio e relacionou as peças que precisamos trocar ou que estavam faltando, conforme lista da foto abaixo.

Por minha conta acrescentei algumas 'pecinhas' a lista e já estamos fazendo o pedido para o pessoal da Motos Antigas Ltda, de Curitiba/PR, loja que possui uma grande variedade de peças para motos antigas e que sempre nos atenderam muito bem. A noticia ruim é que eles só tem pistão 'macete', para transformar o motor de 150 cm3 para 175 cm3, nas medidas 63,4 mm e 63,6 mm e a medida atual do pistão é de 63,6 mm, ou seja, o cilindro da Lambretta está na ultima retifica. Vamos ver com o João 'Urso do Cabelo Duro', mago da retifica Zanella de Passo Fundo, o que fazer, acredito que teremos que encamisar o cilindro. Voltaremos...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Pumakit - Peças de performance desenvolvidas pela Puma (01)

A Puma, através do seu departamento tecnico e de competições, desenvolveu peças de performance, para os motores Volkswagen refrigerados a ar que equipavam 'as puminhas'. Era possível comprar caburadores e coletores, comandos de válvulas, virabrequins com maior curso, kit de pistões com maior diâmetro, cabeçotes com valvulas maiores e molas com maior carga, relações de marchas e de coroa e pinhão, a famosa catraca para rebaixar o eixo dianteiro, bomba de óleo com maior vazão e de cárter seco. Esse pacote de 'veneno' foi denominado de PUMAKIT.
Os produtos do Pumakit foram uma excelente opção, com bom custo x beneficio, sendo largamente utilizado por preparadores para 'envenenar' os Fuscas, Karmann-Ghia e qualquer outro veículo equipado com motor vw a ar. Os Pumas já podia sair de fabrica equipado com peças desse kit, bastava o comprador do 'zero km' escolher o pacote e ter 'bala na agulha' para acertar a fatura.
Particularmente sou dono de um kit de Solex 40H44EIS com coletores de entrada dupla, lembro que paguei uma 'fortuna' por esses carburadores e coletores, pois naquela época não havia no mercado nacional coletores para os Solex 40 serem utilizados nos motores vw-ar.
Esse catalogo Pumakit,  facilmente encontrado na internet, serviu de inspiração para a montagem do motor vw-ar 2017 cm3 que equipa o meu Fusca 1972 com teto sunroof, mas isso é outra história.
clique nas imagens para ampliar

domingo, 15 de agosto de 2010

Encontro das Carreteras - Passo Fundo - Setembro 2007 (04)

Segunda parte e final do texto do post anterior...

...
Quem foi ao Evento das Carreteras, realizado em 1.° de setembro, em comemoração aos 150 anos da cidade de Passo Fundo, pode presenciar tudo isso que descrevemos acima, reviveu por um breve momento a época de ouro do automobilismo gaúcho.

Em 1957, quando a cidade de Passo Fundo festejou o seu centenário, foram realizadas duas corridas de Carreteras, com a presença dos principais pilotos gaúchos. Cinqüenta anos depois os motores voltaram a roncar.

Nos bastidores foi possível encontrar o antigo piloto Haroldo Vaz Lobo (um dos poucos pilotos de Carretera ainda vivo), além de mecânicos, jornalistas e entusiastas, muitos os quais eram crianças quando presenciaram aqueles tempos. Anísio Campos, a lenda-viva da história do automóvel e do automobilismo brasileiro, estava presente, contando histórias de um tempo que jamais retornará. Jan Balder, que foi piloto oficial da equipe Vemag, Puma e outras, dos anos 60/70, e como jornalista fez testes para a revista Auto Esporte. Henrique Iwers, grande preparador e expert em DKW's. Claus Hoppen, Presidente Mundial da MAHLE Metal Leve.

Filhos e netos de pilotos também estavam presentes e alguns pilotaram as Carreteras que pertenceram as suas respectivas famílias: Luis Fernando Andreatta, filho do Júlio Andreatta; Carlos Bertuol, filho do Arestides Bertuol; Rogério Pretto, filho de Alcides Pretto e sobrinho do Argemiro Pretto; João Carlos Rossler, filho do Dr. Jaime Rossler; Miriam Buso, filha do Paulo Buso; Alexandre Fornari, filho de Breno Fornari; além do filho de Alcídio Schroeder.

Mas as atrações do evento eram as autênticas e históricas Carreteras, juntamente com o coupés Ford e Chevrolet, originais ou customizados. Destaque especial para as Carreteras da equipe Galgos Brancos, as quais continuam andando forte, principalmente a de numeral dois, equipada com motor 283 v8, de Corvette, que pertenceu a Chico Landi, Camilo Christófaro, Catharino Andreatta entre outros grandes pilotos do automobilismo nacional.

Os pontos altos do evento foram à realização das largadas e corridas simbólicos, permitindo que os pilotos e suas Carreteras acelerassem forte, mostrando para os mais jovens todo o potencial competitivo desses veículos, montados de forma artesanal, sem a tecnologia que possuímos hoje, onde os diferenciais eram a habilidade e técnica dos pilotos.

Os fãs de automobilismo ainda tiveram a oportunidade de visitar o Museu do Automobilismo (www.museudoautomobilismo.com.br) que ficou todo o dia aberto ao público. O acervo do museu conta com mais de setenta carros, na sua grande maioria já testada e em condições de pista.

Após o evento as carreteras se encontraram no pátio o Museu do Automobilismo, onde foram prestadas as devidas homenagens aos organizadores, Paulo Trevian e Eugênio Tramontini, fechando o dia com chave de ouro.

PS.: Quase esqueci de comentar que o dia de sábado foi com sol e temperatura agradável. Nosso eterno campeão Breno Fornari interviu junto a São Pedro, proporcionando um dia maravilhoso, excelente para a realização de um evento inesquecível, assim como “seu Breno”.